quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

O SOLDADO DO FOGO - 1ª Parte.


Esta é a primeira parte do conto de natal O SOLDADO DO FOGO, sendo que a segunda parte será postada no dia de Natal. Espero que apreciem. 

O SOLDADO DO FOGO


Por Antonio Henrique Fernandes

Havia fogo por todos os lados, as paredes estavam flamejantes como se a pintura toda fosse de fogo, tremeluzindo nas cores amarela, laranja e vermelha: um trio mortal. As janelas estavam abertas, no entanto o ar não entrava, pelo contrário, o fogo estava tão ardente que consumia todo o ar no cômodo.

O telhado ainda não havia sido atingido pelas labaredas, mas isso aconteceria a qualquer momento e Fernando sabia que não tinha muito tempo.

Minutos atrás foi separado de seus companheiros, uma parede caiu e os separou, o muro de fogo não deixava ele voltar e nem os outros bombeiros atravessarem, teriam que arrumar um outro modo de chegar até ele.

- Tenho que me virar, até o capitão achar uma outra rota para cá. – murmurou para si mesmo.

Não tinha jeito, Fernando tinha que continuar. Naquele momento ele era a única chance da menina que ficou no quarto, e a mãe dela estava do lado de fora do prédio aos prantos querendo sua filha de volta. E Fernando faria tudo o que estivesse a seu alcance para conseguir tal intento.

Olhou para seu equipamento e viu se estava tudo em ordem. Aparentemente o acidente não tinha quebrado nada. O cilindro de oxigênio estava intacto, foi projetado para aguentar altas temperaturas e pancadas de qualquer impacto, a máscara estava inteira e conseguia respirar normalmente. Não perdera a machadinha e isso também era muito importante, pois precisaria dela para arrebentar uma portar, janela ou até mesmo uma parede.

Quando tinha cinco anos Fernando ganhou de seu pai um presente que mudaria para sempre sua vida. Um carro de bombeiro, de plástico, todo vermelho e cuja mangueira, se depositando água, funcionava de verdade. Aquilo fascinou o pequeno garoto que toda vez que a água esguichava da mangueirinha do carro deixava os olhinhos dele brilhando. Marcou tanto que quando tinha 10 anos resolveu ser bombeiro militar. Os pais não deram muita importância, afinal, qual a criança que não quer ser bombeiro, piloto ou policial quando crescer?  Tem umas crianças que querem até ser astronautas.

Ouviu um grito. A menina estava viva. Ótima notícia. Como se estivesse em outra quadra, Fernando ouvia a menina pedindo socorro. Entretanto, devido a fumaça que era o maior perigo depois do fogo propriamente dito, ele teria que ser rápido, muito rápido.

Foi em direção à voz da menina. Evitando um pedaço do teto que acabara de cair, desviou para um corredor e chegou ao final deste, o fogo ainda não tomara totalmente o corredor e por isso a menina estava viva. Mas havia um problema grave. Aquele parecia o corredor que dava para o final do apartamento... As paredes eram mais sólidas, porque dali só para fora do prédio. O prédio em si não era muito alto. Tinha quatro andares, mas uma queda de aproximadamente 20 metros não era aconselhável. E eles nem estavam no ultimo andar.

Foi quando Fernando se lembrou de que seu seus companheiros poderiam subir ao telhado e alcançar a janela, se ela estivesse em um quarto. Haveria uma saída.
Chegou ao cômodo e viu que a porta estava trancada. A garota com certeza fechou para se proteger.

- Alooooooo!! – gritou para a menina responder. – Menina, destranque a porta para eu entrar.

Repetiu umas três ou quatro vezes, mas só ouvia os gritos da pobre menina. Teria que usar a machadinha que segurava. Não perderia tempo. Começou a trabalhar com a sua ferramenta.

Fernando completou o treinamento como sendo um dos primeiros da turma. Tinha passado em todos os exaustivos testes e sempre com louvor. Seu físico ajudava, tinha treinado anos para esses testes de admissão. Sua vontade de ser bombeiro era maior que qualquer coisa, seja cansaço físico ou dificuldades no tipo do de exercício. E queria deixar seus pais orgulhosos.
Era um dos melhores mergulhadores e conseguia escalar qualquer obstáculo com muita destreza. E para usar a machadinha o fazia com extrema perícia.

Com a machadinha em punho conseguiu derrubar a porta em instantes, a situação era urgente e não podia ser diferente. Sutilezas não faziam parte de sua profissão. A perícia sim. Quando conseguiu entrar no quarto inicialmente não encontrou a menina. Será que fora apenas uma ilusão? Resolveu gritar novamente.

- OI. MENINA, VOCÊ ESTÁ AQUI? SOU SUA AJUDA. – e aguardou.

Logo ouviu uma vozinha feminina. A menina estava escondida dentro de um armário embutido.

- Oi, qual o seu nome? – perguntou Fernando.

- O-oi, meu nome é Fernanda. – respondeu assustada e tossindo um pouco.

Até aquele instante o fogo ainda não tinha chegado, mas a fumaça sim.

- Mas olha só que coincidência, meu nome é Fernando. Temos nomes iguais. Eu vou tirar você daqui, está bem? Eu prometo.

A menina só acenou com a cabeça. E Fernando pegou a sua máscara e entregou para a menina colocar e respirar um pouco de oxigênio. Se ela inalasse mais fumaça isso seria um problema muito grande, pois os pulmões dela eram pequenos e poderia ser afetados gravemente.


Ele se levantou e foi verificar o quarto. A janela estava fechada. Não trancada, mas lacrada. Os pais provavelmente tinham medo de a criança cair de algum jeito pela janela e assim chumbaram o vidro na parede e ele era de muita qualidade, não cederia facilmente. Fernando precisaria de muita força e naquele momento ele tinha gasto um bocado dela para chegar até ali. 

continua...

25 comentários:

  1. Respostas
    1. só ver a sequencia postada no blog... pagina inicial ou em contos.

      Excluir
  2. Muito bom o seu texto, Antônio! Eu queria ter essa coragem de postar as coisas que escrevo, mas por enquanto fica guardado só pra mim mesmo... hehe

    PS: tá rolando um sorteio do livro A Garota que Eu Quero, lá no blog! Pra participar é bem simples: basta ser seguidor! Corre lá!

    http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/2014/11/promocao-ano-novo-livro-novo.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Michelly,
      um dia vc terá essa coragem... eu tb não tinha, mas perdi o medo e encaro hoje com naturalidade, gostando ou não do meu texto. e vou lá na pagina do blog.. hehehe.
      bjs

      Excluir
  3. Como assiiiiiim?
    Como é que acaba o post na melhor parte? :O
    Agora cá estou pensando no que aconteceu e sofrendo hahahah

    Você escreve muito bem, parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alessandra, obrigado,
      a segunda parte foi postada no dia seguinte e está disponível.
      bjs

      Excluir
  4. Oiee ^^
    Gente, que maldade acabar na melhor parte! Fiquei super curiosa para saber o que acontece agora *-*
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Drih,
      uai, só ler a segunda parte que já está disponível no blog. hehehehe
      bjs

      Excluir
  5. Olá!
    Fiquei agoniada para saber o final, ainda bem que fui procurar a continuação e fiquei contente por já tê-la postado.
    Excelente conto! E melhor ainda é a lição de fé e esperança que ele transmite.
    Parabéns!
    Beijos

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Li,
      Obrigado, que bom que gostou, e essa foi a intenção, mostrar a fé e a esperança que todos temos.
      bjs

      Excluir
  6. Oie, tudo bom?
    Nossa, que final foi esse? Já estou louca querendo ler a continuação do conto.
    Tenho muito medo de fogo, mas sua narrativa me prendeu do início ao fim.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline, a continuação já está disponível para ler no blog. e fico feliz que tenha gostado.
      bjs

      Excluir
  7. Oi, tudo bem?
    Que bacana esse conto, fiquei super curiosa para saber o que vai acontecer, foi muita maldade terminar o conto na melhor parte, mas assim deixa os leitores com aquele curiosidade boa, né? Acho que foi a sua intenção mesmo kkkk Enfim, gostei muito mesmo, parabéns oo/

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Larissa,
      que bom que gostou, obrigado, a segunda parte já está disponível no blog para leitura. bom divertimento.
      bjs

      Excluir
  8. Olá... tudo bem???

    Li o conto bem apreensiva com os acontecimentos... vejo que quando a pessoa tem um dom ele aflora com fluidez quando se quer chegar em algum lugar principalmente para fazer o bem.... Deus cuida e abençoa.... adorei tudo que li até agora... Xero!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi diana,
      obrigado e fico feliz que tenha gostado.
      bjs

      Excluir
  9. Oi, tudo bem?
    Super legal o seu texto, você escreve super bem. E o final deu muita curiosidade mesmo. Estou me perguntando como eles vão sair de lá
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna,
      obrigado, a segunda parte está disponivel no blog.
      bjs

      Excluir
  10. Olá, como vai?
    Gostei bastante da primeira parte do seu texto e irei procurar para saber o final. Você escreve super bem, meus parabéns. Foi bastante fluída e me deixou ansiosa para o final rs.
    Beijos e sucesso.
    http://chuvaelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Irisvanda,
      obrigado, contente por ter gostado e a continuação está disponível no blog.
      bjs

      Excluir
  11. Olá, tudo bom?
    Bacana vc divulgar as coisas que escreve assim no blog :)

    Gabriel - http://umpapoentrepaginas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gabriel,
      pois é, o meu blog tem um dos objetivos justamente divulgar os meus trabalhos.
      um abraço

      Excluir
  12. Olá!
    Eu adorei a primeira parte, Antonio! Estou intrigada com a coincidência dos nomes (Fernando/Fernanda)... O que será que você aprontou com isso, haha? Eu adoro histórias de resgate... Sempre me emocionam, mesmo quando fictícias.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fran,
      coisa boa que vc gostou, e foi a primeira a olhar para esse detalhe dos nomes...mas foi para dar uma cumplicidade maior para os personagens.
      bjs

      Excluir
  13. Maldade terminar na melhor parte =P . Parabéns pelo texto e obrigada por dividi-lo conosco. Histórias de resgates sempre mexem comigo e me deixam angustiada. Deve ser muito tenso você estar rodeado de fogo =S Deus me livre.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir

Obrigado por nos enviar uma mensagem!